Reconstrução mamária

 RECONSTRUÇÃO MAMÁRIA

O diagnóstico de câncer de mama é devastante para todas as mulheres. O seu tratamento envolve quase que na totalidade dos casos a cirurgia para retirada da lesão e um longo período de quimioterapia e radioterapia.

A perda da mama ou a sua deformação decorrente do tratamento pode trazer diversos prejuízos que vão além da estética. Por isso a cirurgia plástica tem como papel reestabeler a anatomia natural da mama através de diversas técnicas que são intimamente ligadas com a segurança oncológica para o maior benefício possível para a paciente.

Existem diversas técnicas e momentos para realizar a reconstrução de mama. Os principais:

Reconstrução imediata: Realizada juntamente com a retirada da lesão, e poderá ser realizada através de reposicionamento de tecido mamário, inclusão de implantes mamários ou a colocação de expansões teciduais para obtenção de um espaço para a inserção de próteses. Também podemos confeccionar retalhos, que são tecidos da própria paciente que irão ser realocados para a mama.

Reconstrução tardia: A paciente realiza a reconstrução após o termino do tratamento, e as opções de reconstrução irão depender do resultado final. As técnicas mais utilizadas são a reconstrução com retalhos (como explicado anteriormente) e a inserção de expansões teciduais. Muitas vezes o dano na pele causado pela radioterapia limitará algumas opções, porem podemos realizar enxertia de gordura para melhora da qualidade e cobertura.

Como se preparar:

  • Esteja em boas condições clínicas: Seu passado médico deve ser revisado e avaliado, e possíveis comorbidades devem ser estabilizadas antes de realizar o procedimento. Converse sobre medicações em uso, cirurgias prévias, alergias conhecidas.
  • Seja avaliada: O exame físico é fundamental para definir  qual a melhor técnica para o seu caso.
  • Discuta suas expectativas: Explique sua motivação para realizar o procedimento, o que você espera em termos de resultado após a cirurgia. O seu cirurgião irá discutir as reais possibilidades, as limitações,  os riscos de complicações e as etapas da recuperação.

O procedimento:

  • Local: Procedimento realizado em ambiente hospitalar
  • Anestesia: A anestesia pode ser geral, peridural ou raquianestesia. Seu cirurgião e anestesista irão conversar a respeito da melhor opção para você.
  • Tempo de duração: Irá depender do plano cirúrgico.
  • Pernoite em hospital: Geralmente o paciente fica em observação durante 12-24h em sala de recuperação.

É importante salientar que nenhum procedimento de reconstrução é definitivo e único, e geralmente são necessários diversos procedimentos para obtermos um resultado final o mais próximo do esperado.

A consulta com seu cirurgião plástico e a avaliação do seu caso irão determinar qual melhor técnica para você. Lembre-se de expor todas suas expectativas e anseios, e certifique-se que seu cirurgião possui uma formação técnica e validada para este tipo de procedimento.

Open chat